Fale conosco

SP-RJ (11) 98789-3692

(21) 99660-3478

Pós morte – Um colchão de placa – limpeza pós morte

O único filho não quis fazer questão das condições do pai. O pai dele estava morto no colchão há quase 10 dias e morava no escritório onde mantinha uma imobiliária o local teve de ser limpo o mais rápido possível, pois haviam outras salas no prédio. No chão ao lado de uma mesa enorme estavam cerca de umas cinco placas grandes de madeira e haviam garrafas de vinho vazias ao lado. No mesmo ambiente havia uma quantidade enorme de papel e uma montanha de caixas de papelão com documentos.

No banheiro havia uma dezenas de pratos sujos e, portanto, era inutilizável. Cheirava mal, as panelas e os potes estavam cobertos por uma camada de larvas.

Geralmente quando a equipe da Attuale Brasil entra em um local onde alguém faleceu (despercebido), sentimos algo. Sempre ficamos impressionado com um misto de tristeza, solidão e desespero. Não são os nossos sentimentos mas os dos falecidos que ainda estão pendurados no ar. Um sentimento pesado pressionando no peito. Sabes que está lá, mas não podes ver nem tocar, como frio ou calor.

A julgar pela insalubridade do local, o falecido, provavelmente devido ao seu estado de saúde e péssima higiene, estava em seu isolamento. Muita bebida foi consumida.

Ele finalmente morreu num chão sujo, e sua cama eram placas que ele pendurava quando alguém solicitava seus serviços. Apesar de ter sido uma visão muito triste o proprietário do imóvel quem nos contratou para que o local fosse totalmente limpo e esvaziado.

O filósofo do século XVIII Jean-Jacques Rousseau disse uma vez: “O acidente obriga-nos a voltar para dentro de nós mesmos, e isso é talvez o mais insuportável para a maioria das pessoas. ” Estamos todos a passar por um momento difícil. Muitas pessoas vivem na tristeza e na solidão.

Quando tudo e todos te olham pelo que você tem e não pelo que você é, as coisas perdem o controle. Ele não conseguia pagar um aluguel de um imóvel comum, então, dormia e morava no seu escritório. Se perder por causa do álcool ou drogas (remédios) somado de depressão, não vai sobrar nada para apoiar. A única empresa que tinha desaparece, os filhos ignoram, só a morte é a verdadeira visita.

É por isso que, agora mais do que nunca, temos que estar a ajudar uns para os outros, para não nos perdermos uns aos outros e a nós mesmos. Literalmente e figurativamente.

A depressão e a solidão é algo que devemos combater, antes que a morte chegue!

Compartilhar:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Artigos em destaque

Veja também