Limpeza Forense

Desde 2010 a Attuale Brasil foi a primeira empresa a executar serviços de limpeza pós morte, sendo líder do seguimento no Brasil.

Executando este tipo de serviço no Estado do Rio de Janeiro e São Paulo, a Attuale Brasil com seu avanço pretende expandir esta atividade em todo território Nacional.

O objetivo da limpeza forense é fornecer um serviço de boa reputação profissional para proprietários de imóveis, após um crime que tenha ocorrido, morte natural ou acidental. A Attuale Brasil está preparada para executar a limpeza e desinfecção desses locais com sangue e fluídos corporais.

Um corpo humano em decomposição emite mais de 30 componentes químicos perigosos, por esse motivo, este serviço de limpeza não pode ser efetuado por empresas normais, amadores ou equipes de limpeza em geral que não possuem a experiência e formação adequada para remover manchas de sangue, descarte de materiais perigosos ou remover partes do corpo.

A limpeza forense da Attuale Brasil, oferece um trabalho com toda a especialização em restauração de uma cena de crime ou traumas para um ambiente seguro e limpo.

O trabalho da Attuale Brasil é remover as manchas de sangue de móveis, paredes, pisos e decorações, reparar o dano físico ocorrido no interior do imóvel e se livrar de odores desagradáveis.

Limpeza de Acumulação Compulsiva

Assim como fomos os primeiros a limpar locais com óbito também fomos os primeiros a executar o serviço de limpeza em locais de acumulação compulsiva. A Attuale Brasil explica um pouco sobre essa doença e sabemos que é importante a família, amigos e vizinhos ajudarem no que puderem para amenizar esse sofrimento. Trabalhamos na intervenção de locais insalubres, executando a limpeza e restauração desses ambientes, levando qualidade de vida a todas as pessoas envolvidas.

Pouco se fala no Brasil mas acumulação compulsiva ou acumulação patológica é uma perturbação que leva a pessoa a acumular objetos que muitas vezes podem ser até provenientes do lixo. É uma doença crônica, de difícil controle e tende a piorar com o avanço da idade.

Este hábito dos acumuladores compulsivos, até 2013, era considerado um sintoma do Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC), mas a partir deste ano, por ser uma doença tão específica e que gera tantos prejuízos ao indivíduo, ela foi considerada uma entidade, ou seja, uma doença isolada.

Quem são os Acumuladores Compulsivos?

Os acumuladores compulsivos são caracterizados por guardarem grandes quantidades de objetos, em geral, sem muita importância ou sem utilidade, e por terem dificuldade ou impossibilidade de se desapegarem daqueles itens. As pessoas que sofrem desta perturbação, maioritariamente idosos, acumulam tudo o que podem para mais tarde conseguirem dar uma resposta eficaz a uma eventual emergência.

Na fase avançada, os indivíduos acumulam objetos sujos com odores fétidos, facilitando a entrada de roedores e insetos na residência, colocando em risco a saúde de si próprio e de sua família, mas também de quem mora na vizinhança. O problema passa a se tornar também uma questão de limpeza e de higiene sanitária.