Mudar só para morrer

15 de Abril de 2020, a verdade é que ficamos tristes com tantas notícias ruins que nos cercam.

Durante a pandemia do Covid-19 num pleno sábado somos contratados para atuar na limpeza e higienização de um apartamento pequeno no centro da Cidade.

Avenidas e ruas vazias por motivo de isolamento social, na Rua Aurora num prédio antigo ao chegar dois políciais e uma advogada estão a nos esperando.

O imóvel pertence a um delegado de polícia aposentado que soube de nossos serviços de limpeza forense por meio de indicação da polícia científica.

A pessoa que havia alugado o imóvel era uma senhora que não teve tempo de arrumar sua mudança.

O porteiro nos informou que teve que lavar o prédio inteiro com cloro puro e despejou sobre o piso cerca de 40 litros de desinfetante tipo pinho.

Tudo para remover o odor, mas ele disse que aquele cheiro ainda persistiu durante a semana e ventiladores precisaram ser ligados no hall principal.

Não sabemos, mas a pessoa foi a óbito dentro do banheiro, no atestado de óbito por parada cardiaca. Caixas de remédios estavam pelo chão do quarto do apartamento. Tudo indica que possa ter tido um infarto.

Subimos com os policiais e logo chegou um reforço da assistência social da prefeitura para retirada de roupas que estavam no armário e levados para doação.

Separamos todos documentos pessoais existentes, dinheiro, relógios, objetos de valor e entregamos para a polícia. Armários, fogão, geladeira e roupas foram para ação social da prefeitura.

O trabalho todo de limpeza era no banheiro onde ocorreu o óbito. O corpo devia estar num estado avançado de decomposição, dentro de um balde branco via-se insentos pequenos e uma voz de fora nos avisa para colocar direto em um saco, lacrar e não abrir mais.

A turma do Iml havia jogado fluídos dentro daquele balde. No piso, restos de cabelo estavam grudados.

O ruim de trabalhar em locais de morte é o ar depressivo, a tristeza de saber que havia vida naquele lugar. O nosso objetivo é remover a sujeira, o ar contaminado do ambiente, remover o clima de depressão deixado pela morte.

Na realidade aquela senhora só se mudou de endereço para morrer.

Nesse trabalho não há nada de bom, existe a frieza de todos envolvidos e a tristeza no olhar de quem ficou.

Compartilhar:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Artigos em destaque

Veja também