Fale conosco

SP-RJ (11) 98789-3692

(21) 99660-3478

Pós morte- como a entomologia pode ajudar a chegar no intervalo pós morte?

O conhecimento sobre o processo de decomposição dos cadáveres é fundamental para fazer a estimativa do intervalo pós-morte, porém alguns fatores influenciam no processo de decomposição.

A estimativa de IMP, considerando a entomologia, pode ocorrer de duas formas:

  • observando-se o substrato onde foi feita a oviposição logo depois da morte e
  • fazendo-se a determinação da idade daqueles insetos, prevendo a sequência na sucessão da fauna.

Outros modelos de estudo consistem em separar as fases da morte em:

  • fresca,
  • putrefação,
  • putrefação escura,
  • fermentação e
  • seco.

Cada momento da putrefação cadavérica oferece condições e características próprias.

Isso significa que cada etapa atraí diferentes grupos de insetos. E estes se sucedem de maneira distinta durante os diferentes estágios da decomposição.

O estudo desta sucessão e o reconhecimento das espécies envolvidas nesse processo podem auxiliar na estimativa do IPM de um cadáver.

Dos insetos,  os besouros representam a mais numerosa espécie descrita.

Esses insetos ganharam importância na área forense por serem abundantemente encontrados associados a material em decomposição.

Para que haja uma estimativa do IPM são necessárias espécies necrófagas.

Estas utilizam matéria orgânica em decomposição como fonte de proteína e para ovoposição.

Isso acelera a putrefação e a desintegração do corpo o que facilita o estudo do caso, pois cada fase de putrefação atrai um determinado grupo.

Por que os insetos são importantes para uma investigação?

O emprego da Entomologia forense depende de muita biologia.

Conhecimento sobre taxonomia, biologia, ciclo de vida, sucessão e ecologia dos insetos estudados é fundamental.

 capacidade dos insetos de sentirem odores que os humanos não conseguem sentir, faz com que sejam os primeiros a chegar no local de um crime.

Ou no local onde tenha um organismo morto, mesmo que a decomposição seja feita principalmente por microrganismos, como bactérias.

Os odores que são exalados pelo cadáver vão sendo modificados no decorrer da decomposição.

Essa mudança no odor vai se tornando mais ou menos atrativos para as espécies.

A presença de insetos necrófagos no cadáver pode dar pistas importantes sobre o ocorrido no local da morte, como a cronologia

A entomofauna encontrada no cadáver, se analisada, pode dar algumas importantes informações sobre:

a) Identidade do morto

Pode ser feita com a obtenção do sangue e dos tecidos do cadáver no interior dos insetos e posterior análise de DNA para identificação.

b) Causa da morte

Como a velocidade da decomposição é influenciada por alguns fatores como o local onde a pessoa morreu, pode-se descobrir se ela foi morta por afogamento, carbonização, envenenamento, entre outras coisas.

c) Movimentação do corpo

Como a diversidade de insetos necrófagos é grande até mesmo dentro de uma mesma região, pode-se deduzir se o corpo foi movimentado.

Isso é possível a partir da coleta e identificação dos insetos adultos, comparando-os com os que ainda estão imaturos.

d) Uso de toxinas ou drogas

As toxinas ou drogas que estiverem presentes no corpo em decomposição causam mudanças no desenvolvimento dos estágios da vida dos insetos que se alimentam da matéria orgânica.

Essas substâncias também podem ser identificadas no organismo do inseto

fonte: pontobiologia.com.br

Compartilhar:

Compartilhar no facebook
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no twitter
Compartilhar no email
Compartilhar no whatsapp

Artigos em destaque

Veja também